Categoria Sugestão de Leitura

porIHGSE

Um homem e um amigo presente

Há precisamente em maio de dois e vinte fomos surpreendidos com a notícia que ocorrera no Hospital São Lucas, em Aracaju, o falecimento do Dr. João Gomes Cardoso Barreto.

 

Já vivíamos a pandemia da COVID 19 e o pandemônio decorrente, obrigando o distanciamento social e a buscar regras mais estrita s para os sepultamentos, com a presença de poucas pessoas, notadamente a de familiares, nas cerimônias fúnebres.

 

Por estas razões não acompanhei o amigo a sua última morada. Foi um dia de tristeza.

 

Minha convivência com ele vinha de algum tempo:  desde o Governo do General Djenal Tavares Queiroz, no qual ao lado de  Djalmir Tavares, Secretário-Chefe da Casa Civil,, de Luiz Antônio Barreto, Subsecretário de Comunicação Social, do Coronel Nívio Marias, Chefe do Gabinete Militar e ele na Assessoria Especial o Governador, constituíamos o grupo de assessoria mais direto do  Chefe do Executivo.

 

Cabia a mim, na Chefia do Cerimonial, redigir os telegramas de datas aniversárias e dos eventos e a João Barreto fazer a aprovação.        Lembro que sempre os aprovava com o pedido de que os “adoçasse” mais.

 

Já o primeiro Governo do Engenheiro João Alves Filho, ele assumiu a responsabilidade do cargo de Secretário-Chefe de Casa Civil, quando fui direto integrante de sua equipe. Agora ele fazia a intermediação  entre o Governo e a sociedade, marcando audiências, definindo representações, recebendo visitantes, dentre outras atribuições. Continuamos juntos.

 

Mas João Gomes Cardoso Barreto representava mais do que essas funções políticas. Era um homem de boas leituras, dos clássicos principalmente, um cultor da música erudita.

 

Lembro-o também e, de modo especial, como sócio do IHGSE. Nos anos quarenta do século XX fora Tesoureiro e, mais tarde, uma presença nossos eventos, em companhia de D. Olga Barreto, sua companheira pela vida afora, além de um grande colaborador da Casa, em todos os momentos, pincipalmente naquele mais difíceis, sempre com uma palavra amiga e, sobretudo, com efetivas contribuições.

 

Louvo-o em sua vida e na sua memória nesta Casa de Sergipe que foi e será a sua.

 

 

Luiz Fernando Ribeiro Soutelo

Sócio e Segundo Secretário.

porIHGSE

História de Sergipe

O ÁLBUM DE SERGIPE – Clodomir Silva

Lançado em 1920, o Álbum de Sergipe foi escrito por Clodomir Silva atendendo a um pedido do presidente do estado, o General José Joaquim Pereira Lobo, para fazer parte das comemorações do centenário da Independência de Sergipe. O Álbum é uma publicação iconográfica que reúne textos sobre a história dos municípios divulgando aspectos econômicos e seu passado histórico. Com o passar dos anos o Álbum passou a ser leitura obrigatória para os que desenvolviam pesquisas sobre Sergipe, se tornando uma obra rara e de grande significado.

Agora, ás vésperas do Bicentenário da Independência de Sergipe em 2020 o Álbum, reimpresso pelo Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, com apoio do Governo do Estado e da Infographics é enriquecido com uma cronologia organizada pela prof. Verônica Nunes, e chega às mãos dos sergipanos.

A história da emancipação política do nosso Estado, mais uma vez é celebrada com uma presença soberana e completamente fiel ao seu autor.

O IHGSE, guardião da sua história aguarda a presença dos que desejam criar com ele uma relação de bem-querer.

 

A Revista

Foi igualmente lançado a Revista do IHGSE com um valioso dossie sobre Manuel Bomfim e outro sobre a escravidão e a abolição do Brasil.